Rede de Pesquisa e Inovação em Leite

Novas cultivares de Panicum, desenvolvidas pela Embrapa para rebanhos de corte, têm bons resultados na pecuária de leite

Projeto de BRS Zuri – Foto: Divulgação NCO

Pesquisadores da Embrapa Gado de Leite vêm testando, em rebanhos leiteiros, duas cultivares de gramíneas da espécie Panicum maximum desenvolvidas pela Embrapa Gado de Corte: a BRS Quênia e a BRS Zuri. As cultivares estão sendo submetidas às condições de pastejo rotacionado na Região da Mata Atlântica, em Minas Gerais. Segundo o pesquisador Carlos Augusto Gomide, ambas apresentaram bom potencial para a produção de leite, podendo suportar de nove a 11 vacas em um hectare.

“A gramínea permite a produção de 13 a 15 litros de leite por dia em um rebanho de vacas mestiças, com a adição de quatro quilos de ração concentrada por vaca”, diz Gomide. Essa produção foi obtida durante o período chuvoso, que na Região Sudeste e Centro-oeste ocorre de novembro a março. As gramíneas necessitam de uma boa adubação. Além da incorporação de fósforo e potássio, de acordo com a análise do solo, são necessários de 350 a 400 quilos de nitrogênio para a boa recuperação do pasto após o pastejo.

O pesquisador diz que a adubação adotada tem sido equivalente a 50kg de nitrogênio por hectare após a saída das vacas do piquete. “Com essa adubação e condições favoráveis de chuva, o período de descanso dos piquetes é de 15 a 18 dias, o que resulta numa redução da área de pasto necessária para o manejo do rebanho e, consequentemente, no aumento da produção por área”, afirma Gomide.

Veja algumas das características das cultivares:

- Quênia - De porte intermediário e fácil manejo, a cultivar híbrida BRS Quênia, lançada em 2017, possui folhas macias e colmos tenros, oferecendo uma forragem de alta qualidade. É recomendada para o cultivo em solos de média e alta fertilidade, exigindo precipitação mínima de 800 mm em períodos de, no máximo, seis meses, não apresentando resistência a solos encharcados.

- Zuri - Lançada em 2015, a cultivar BRS Zuri possui maior grau de resistência ao fungo Bipolaris maydis, além de resistência mediana à carie-do-sino, causada por Tilletia ayresii, o que pode comprometer a produção de sementes em condições ambientais favoráveis à doença. Suas principais características são a elevada produção e o alto valor nutritivo, além da resistência à cigarrinha-das-pastagens.

Dinapec – A Embrapa Gado de Leite irá apresentar os resultados dos testes realizados com as duas cultivares durante a 13ª edição da Dinapec (Dinâmica Agropecuária), que ocorre entre os dias sete e nove de março, em Campo Grande – MS. O evento deste ano tem como tema central “Agropecuária de Baixo Carbono”. A Dinapec acontece na Avenida Rádio Maia, 830, zona rural, saída para Aquidauana. O evento é uma realização da Embrapa, em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e tem o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MS), da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural de MS (Agraer), da Agência Estadual de Defesa Sanitária e Vegetal (Iagro/MS), das Fundações MS e Chapadão e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MS).

Rubens Neiva (MTB 5445)
Embrapa Gado de Leite
rubens.neiva@embrapa.br
Telefone: (32) 3311-7532

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Exibições: 204

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede de Pesquisa e Inovação em Leite para adicionar comentários!

Entrar em Rede de Pesquisa e Inovação em Leite

© 2018   Criado por Embrapa Gado de Leite.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço