Rede de Pesquisa e Inovação em Leite

Nova técnica deixa queijo minas frescal sem risco de contaminação .

Técnica de microfiltração é difundida pela Universidade Federal de Viçosa em função de seu poder de melhorar o sabor, além de tornar a produção mais segura para o consumidor

Cada vez ocupando mais espaço nas prateleiras dos supermercados e nas geladeiras dos consumidores brasileiros, que estão aprendendo a saboreá-lo in natura, ou acompanhado de cafezinho ou doce – ao lado de outros queijos made in Minas como o canastra e o queijo do Serro –, o minas frescal vem ganhando novo reforço na Universidade Federal de Viçosa (UFV). O objetivo, como está sendo divulgado, é tornar a fabricação mais segura e permitir uma sobrevida ao produto nas prateleiras.

Trata-se da técnica de microfiltração, já utilizada em larga escala em países da Europa, Oceania e nos Estados Unidos, mas que só começou a chegar ao Brasil há dois anos, mais especificamente na UFV, com apoio da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior e da Fundação de Pesquisa de Minas Gerais (Sectes-Fapemig), onde são oferecidos cursos de formação para produção do queijo frescal.

 

Fonte: em.com.br

Exibições: 118

Responder esta

Respostas a este tópico

Não tem mais nenhuma informação sobre o assunto?

um site para pesquisa? 

foi só como colocar doce na boca de criança e depois tomar.

 

 

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Embrapa Gado de Leite.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço