Rede de Pesquisa e Inovação em Leite

E o uso de Homeopatia nos animais leiteiros ? Quem é contra ? Quem é a favor ? Porquê?

Existe muita discussão sobre o assunto, e assim como a adubação foliar em lavouras, também a homeopatia me parece que tem defensores mas muito poucos trabalhos científicos que comprovem a eficácia.

Discordância entre produtores também são frequentes.

No trabalho do PAS Leite costumo dizer aos que são usuarios e defensores da homeopatia que : uma excelente higiene somado a homeopatia com certeza trará resultados na diminuição de CCS e CBT.

Exibições: 4930

Responder esta

Respostas a este tópico

Boa tarde a Todos!!

Nossa empresa esta precisando de Promotores de vendas, ótima remuneração, ou até mesmo de representantes em outros estados. Quem tiver interesse por favor entrar em contato.

alisson_nutriphos@hotmail.com

www.nutriphos.com.br

Abraços.

Boa tarde Alexandre, com qual marca de Homeopatia você trabalha ou nao tem nada especifico ?

Alexandre Mendonça disse:

Queridos presentes nesta página de discussão. Sou médico veterinário homeopata, e trabalho em uma cooperativa de pequenos produtores familiares no norte do RS, que vem utilizando a homeopatia há 16 anos. Quando se fala em resultados com comprovação científica, temos que pensar numa metodologia diferenciada quando se avalia o fator VIDA. Os parâmetros de avaliação em homeopatia são diferentes dos métodos cartesianos que encontramos nas universidades e centros de pesquisa. Por outro lado tenho 340 produtores trabalhando com homeopatia com resultados como redução de custo, melhora da qualidade do produto leite, e principalmente o prazer em estar trabalhando em uma atividade que passa a ser lucrativa pela forma como vem trabalhando. Isso não é científico, mesmo porque muitas vezes as pesquisas científicas não chegam nesses produtores. O que vale para esse produtor: uma pesquisa científica publicada em revistas inglesas e norte americas, ou simplesmente ver seus animais saudáveis, e suas contas nas agropecuárias zeradas? São duas realidades que merecem ser avaliadas sob pontos de vistas diferenciados também. Me coloco a disposição para continuarmos essa prosa. Parabéns aos criadores dessa página de discussão. Abraço a todos. (homeopataalex@yahoo.com.br)

Boa Tarde, volto até esta discussão para ratificar que, se as empresas que produzem homeopatia quisessem, elas poderiam sim produzir pesquisas com teor científico, poderiam sim ser quantificados os ganhos do produtor, os ganhos de leite ou quilos de carne ou o que quisessem. Podem separar em quantos lotes quiserem e fazer uma pesquisa de fundamento e correta. Hoje em dia se consegue provar até quando há cura espiritual, que eu acredito muito, mas vender um produto sem provas não é certo. Acredito muito mais na força do pençamento, na crença de energias que não vemos ou no efeito placebo. Se eu acredito e faço o produtor acreditar em um produto, talvez ele funcione, portanto, posso provar isso? Provem com dados e dados sem interferências de manejo ou qualquer outra coisa. Se eu quiser ir em um lote todo dia e dar agua morna e fazer um carinho em todos os animais deste lote, será que não vão responder com produção? Claro que sim. Respeito todas as formas de pensamento, e não estou tentando rebaixar algo que desconheço, na verdade quero muito conhecer. Quero conhecer com dados sérios.

Olá César,

 

  Fique tranquilo, pois todas essas coisas que você escreveu estão corretas. Precisamos tornar a homeopatia uma ciência, e como tal, com comprovação científica. No site FAUNA E FLORA, você terá acesso à algumas informações que nortearão sua vida também. abraço,


 
Cezar Luis Wild Brack disse:

Boa Tarde, volto até esta discussão para ratificar que, se as empresas que produzem homeopatia quisessem, elas poderiam sim produzir pesquisas com teor científico, poderiam sim ser quantificados os ganhos do produtor, os ganhos de leite ou quilos de carne ou o que quisessem. Podem separar em quantos lotes quiserem e fazer uma pesquisa de fundamento e correta. Hoje em dia se consegue provar até quando há cura espiritual, que eu acredito muito, mas vender um produto sem provas não é certo. Acredito muito mais na força do pençamento, na crença de energias que não vemos ou no efeito placebo. Se eu acredito e faço o produtor acreditar em um produto, talvez ele funcione, portanto, posso provar isso? Provem com dados e dados sem interferências de manejo ou qualquer outra coisa. Se eu quiser ir em um lote todo dia e dar agua morna e fazer um carinho em todos os animais deste lote, será que não vão responder com produção? Claro que sim. Respeito todas as formas de pensamento, e não estou tentando rebaixar algo que desconheço, na verdade quero muito conhecer. Quero conhecer com dados sérios.

Olá Alisson

 

  Há 16 anos venho trabalhando com os produtos do laboratório FAUNA E FLORA ARENALES. tenho muito orgulho de dizer que fiz meu curso de especialização de 3 anos com a professora Maria do Carmo Arenales. ALém dos medicamentos do laboratório, trabalhamos ainda com mais 150 matrizes de medicamentos homeopáticos, para casos mais individuais. Abraço
 
Alisson Rodrigo Basso disse:

Boa tarde Alexandre, com qual marca de Homeopatia você trabalha ou nao tem nada especifico ?

Alexandre Mendonça disse:

Queridos presentes nesta página de discussão. Sou médico veterinário homeopata, e trabalho em uma cooperativa de pequenos produtores familiares no norte do RS, que vem utilizando a homeopatia há 16 anos. Quando se fala em resultados com comprovação científica, temos que pensar numa metodologia diferenciada quando se avalia o fator VIDA. Os parâmetros de avaliação em homeopatia são diferentes dos métodos cartesianos que encontramos nas universidades e centros de pesquisa. Por outro lado tenho 340 produtores trabalhando com homeopatia com resultados como redução de custo, melhora da qualidade do produto leite, e principalmente o prazer em estar trabalhando em uma atividade que passa a ser lucrativa pela forma como vem trabalhando. Isso não é científico, mesmo porque muitas vezes as pesquisas científicas não chegam nesses produtores. O que vale para esse produtor: uma pesquisa científica publicada em revistas inglesas e norte americas, ou simplesmente ver seus animais saudáveis, e suas contas nas agropecuárias zeradas? São duas realidades que merecem ser avaliadas sob pontos de vistas diferenciados também. Me coloco a disposição para continuarmos essa prosa. Parabéns aos criadores dessa página de discussão. Abraço a todos. (homeopataalex@yahoo.com.br)

Prezado Alexandre,

Os parâmetros de avaliação da homeopatia para mastite, na minha visão, devem ser os mesmos do tratamento alopático: CCS, presença de patógenos da mastite (cultura microbiológica), produção de leite, ocorrência de casos clínicos, entre outros. Independente da forma de ação do produto, o que queremos avaliar são os resultados concretos para a saúde do animal e para a produtividade e rentabilidade da propriedade. Mesmo o campo de ação sendo energético, esperamos do tratamento resultados nos parâmetros físicos. Resultados quantificáveis. É isso que a ciência precisa provar.

Abraço,

Letícia.

Olá Leticia

  Esta avaliação de redução de CCS, aumento do percentual de gordura, aumento da produção de proteína, são pontos que podem ser estudados. Na COOPASUL, nós temos esta avaliação por propriedade, então são amostras coletadas do coletivo do rebanho. Sei que algumas propriedades, principalmente em MG e SP fazem essas avaliações individuais (por animal), o que nos dá dados mais confiáveis. No site FAUNA E FLORA ARENALES você poderá ver alguns trabalhos publicados em congressos, inclusive.

  Só aproveitando a ocasião, você é Mendonça de onde? Sei que não é o local mais indicado para essas coisas, mas também sou Mendonça. Abraços

Oi Alexandre!

Sou Mendonça de Pará de Minas, cidade próxima a Belo Horizonte. E vc?

Vou dar uma olhada no site que vc me indicou.

Abraço!

Letícia.

Olá marcos Antônio, a sim como a Homeopatia. Também tem 0s fitoterápico eu defendo os dois, eu trabalho muito com fitoterapicos.

Por exeplo eu trato  os bezerros com diarrias com ervas medicinais, cidreiras, capim santos, goabeira branca, e esta dando serto e alem de os bezerros ficarem idatrados. Boa noite amigos.

 

Boa Letícia, falou tudo!

Leticia Caldas Mendonça disse:

Prezados,

Muito boa a discussão. Seria ótimo se as pesquisas conseguissem comprovar, com o devido rigor científico, a eficácia dos produtos homeopáticos. Poderíamos reduzir os resíduos químicos e contaminantes no leite, pois diminuiríamos o uso de produtos alopáticos.

Contudo, a escassa literatura sobre o tema retrata a dificuldade em se executar experimentos dessa natureza, de forma a obter resultados confiáveis. São experimentos complexos, que exigem uma infraestrutura cara e que demanda muito tempo. Poucos são os trabalhos publicados sobre o uso da homeopatia em vacas leiteiras, em revistas científicas de alto impacto. A maioria deles não conseguiu encontrar diferença significativa entre tratamentos. Outros alegam que o número de animais foi insuficiente para se chegar a alguma conclusão.

Sempre ouvimos falar de alguns resultados de campo, experiências pessoais de técnicos e produtores, que encontraram bons resultados com a homeopatia. Que o número de carrapatos reduziu, que a CCS reduziu. Esses resultados são mais um incentivo para que sejam feitas pesquisas sobre os homeopáticos.

Mas até que se prove cientificamente sua eficácia, eu prefiro orientar o produtor a utilizar seus recursos financeiros para comprar um desinfetante de tetos de boa qualidade, fazer sempre a revisão programada do equipamento de ordenha, utilizar teteiras de boa qualidade, comprar um bom antibiótico de vaca seca, fazer o treinamento adequado dos funcionários, alimentar adequadamente os animais.

Pois é minha gente,

A homeopatia sempre vai gerar essas discussões sobre a questão científica. Com certeza o nosso raciocínio ocidental nos limita um pouco a enxergar o além da matéria. Quanto aos custos, as experiência em se gastar centavos por ano por animal, ou ainda que seja R$ 2,00 por animal para tratar um problema, é outra coisa já bem fudamentada. É claro que quando se trata das formulações que já estão no mercado, isso tem um custo, que é repassado ao produtor, mas de qualquer forma bem abaixo do que se gasta com o tratamento químico convencional. Como Kent dizia, "não existe outra alternativa que trabalhe tão bem a prevenção e a cura, como a homeopatia". Quando se pensa em custo de uma pesquisa, o o custo de um tratamento com homeopatia, nenhuma empresa se dispõem a fazer isso, pois é irrisório, e num mundo capitalista como o nosso em que tudo gira em torno do lucro, sinceramente a homeopatia não vai atrair as multinacionais, memso porque é um conhecimento de domínio popular, portanto não pode ser patenteada. Aí não tem graça trabalhar sem ter lucro. Os preconceitos são grandes pela falta de conhecimento. À medida em que a população vai tendo o domínio da ciência homeopática, esses preconceitos caem por terra. Uma coisa é certa: homeopatia não é milagre. Não adianta eu usar homeopatia e continuar com pressão da ordenhadeira desregulada, por exemplo...

No dia 4 de março postei um comentário relatando o uso de sal mineral com fator homeopático contra carrapatos.

Rememorando: segundo informações do produtor do sal, além da necessidade de ingestão mínima diária de determinada porção do produto, só começaria a ver resultados a partir do 30º dia depois de iniciado o uso.

Comecei a usar o produto logo após o Reveillon. No dia 7 de janeiro fiz uma aplicação pour on de um carrapaticida caro pra burro, mas bom, que já havia, anteriormente, proporcionado cerca de 30 dias de controle.

Em 25 de fevereiro, apesar de mais da metade do rebanho (é pequeno, somente 24 vacas adultas) não apresentar carrapatos de forma visível, e muitas delas precisando de verdadeira inspeção para achar uma coisinha ou outra, fizemos uma pulverização com um produto convencional de baixo custo. O motivo foi, basicamente, a presença de carrapatos em duas das três Holandesas. As Jersey e suas mestiças praticamente não tinham carrapatos.

Na primeira semana de abril apliquei um produto convencional (injeção) em duas – somente duas – vacas do rebanho. Uma delas, da raça Holandesa PB, e que é terrivelmente carrapateira, apresentava uma “safra” de “jabuticabas” absurda nas duas orelhas!

Aplicado o produto, em poucos dias as orelhas limparam.

Durante todo esse tempo, desde o 4 de janeiro, as vacas têm ingerido o mínimo ou mais da dose diária prescrita, sem falha.

Na última quinta-feira, 18 de abril, mais por preciosismo do que por necessidade, voltamos a pulverizar contra carrapato, mas não todas as vacas, apenas um terço delas, pois, realmente, as demais não tinham e não têm carrapatos visíveis. Examinando atentamente durante a ordenha, encontramos, é claro (e felizmente, pois vaca com carrapato zero corre riscos), mas em baixo número e sem a presença de animais mais desenvolvidos.

Resumo da ópera: acredito que o produto homeopático associado ao sal mineral tem funcionado bem. Considerando que a aplicação de 4 de janeiro do pour on de alto custo já estava planejada e o produto comprado, estamos a quase 4 meses de verão e chuvas e calor com o gado limpo, em termos práticos. Nesse período todo gastamos um valor irrisório – bem menos de 40 reais – para e pulverizar com produto barato e mais as duas injeções de um produto mais caro que eu tinha em estoque.

Continuarei utilizando o produto da mesma forma, sem interrupção, mesmo durante a seca/inverno. Em dezembro, já com dois ou três meses de chuva e calor e explosão (prevista) de carrapatos, terei condições de fazer uma avaliação ainda mais precisa.

Que acredito vá ser positiva.

Enquanto isso, desde meados de janeiro venho ministrando o fator Mastite (laboratório Arenales) para as vacas. A CCS no geral está boa, bem baixa, e uma vaca com problemas terríveis recuperou-se totalmente de uma mastite severíssima. Um de seus quartos foi “queimado”, mas a recomendação de três diferentes profissionais foi de queimar dois dos quartos. Fui teimoso e, acredito que graças ao uso desse fator, consegui preservar um desses quartos condenados. Que está produzindo bem e com CCS baixa.

No nosso caso é mais difícil creditar à homeopatia um percentual para isso, pois há quatro anos nosso leite tem CBT abaixo de 10.000 (nos últimos quatro meses ela subiu e ficou entre 10 e 20.000) e CCS abaixo de 200 por largos períodos. 

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Embrapa Gado de Leite.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço