Rede de Pesquisa e Inovação em Leite

Nesse vídeo falo resumidamente sobre o panorama da produção de leite no mundo e no Brasil, principalmente sobre a estrutura de produção e os países mais especializados, considerando a produtividade animal. Também abordo alguns pontos importante que estão acontecendo, como o crescimento e urbanização da população e as mudanças climáticas. 
 
Na última parte falo dez desafios que a atividade leiteira brasileira deve enfrentar para se tornar forte e competitiva. Gostaria que você compartilhasse comigo sua experiência, discordando dos desafios mencionados ou citando quais são os três mais relevantes que devem ser enfrentados na sua região ou no País. Estou esperando seus comentários.


Exibições: 1445

Responder esta

Respostas a este tópico

ótima apresentação mas deixo tb uma pergunta: o que nos como empresas de assistência, técnicos estamos fazendo pelo setor para que os pequenos produtores de 30 a 100 vacas não acabe, este que devem ser alvos de pesquisas de ajuda do setor publico pois neles estão os empregos a dinâmica familiar entre outros itens de relevância técnica,produtiva e diferenciação genética, pois os grandes tem como contratar assistência de qualidade e subsistência sem causar qualquer polemica é só subsistência. 

Prezada Dra. Rosângela, Boa tarde!

Parabéns pela iniciativa. Apesar de novato no grupo, arrisco-me a citar os 3 desafios mais importantes:

1. conhecer o mercado, como oferecer um produto de qualidade. Atualmente decidi comprar um leite mais caro em função da melhor qualidade;

2. as questões sanitárias;

3. questão política. A grande dificuldade de exigir do governo políticas decentes.

Um abraço.

Geraldo Estevam

 

Bom dia Dra. Rosângela.

Boa Iniciativa de apresentar o que pensa a pesquisa, para o momento atual e futuro da pecuária de leite, mas lembro também que algum tempo atras , quando criou as normativas de produção de leite, armazenagem do leite  em tanque de expansão e do transporte do leite ventilou-se  que os pequenos produtores sairiam da produção, e hoje estamos vendo que eles continuam e com certeza não vão sair, porque trabalham com mão-de-obra familiar e não tem outra fonte de receita, o que ao meu ver precisa de política publica " pesquisa direcionada buscada na raiz do problema,assistência técnica mesmo" para buscar atender e cria forma de evoluir esta faixa de produtores.

Dra. Rosângela, Como sempre se destaca em suas colocações e apresentações sobre o setor leiteiro nacional e mundial. Parabéns.

Para atender a sua provocação sobre os desafios de nossa pecuária eu dividiria em dois momentos, um de curto prazo, os desafios conjunturais que normalmente estamos acostumados a debater no Brasil e muito bem colocado em sua apresentação. Depois segue os de longo prazo, os estruturantes, que estamos iniciando a aprender a discuti-los nos últimos anos, notadamente após a estruturação das Câmaras Setoriais e Temáticas do MAPA em 2007, iniciando a surgir efeito a partir de 2013, conhecido como o ano da virada do leite no Brasil. Porém, a meu ver ainda teremos que percorrer um longo caminho.

Nesse contexto, colocaria em primeiro lugar como desafio estruturante o incentivo à exportação. Deveríamos nos estruturar para exportar pelo menos 5% de nossa produção, acreditando ser 10% desta, próximo do ideal. Para isso precisamos acelerar o dever de casa e melhorar urgentemente a qualidade de nosso leite, o que acho ser também um problema de cultura e uma boa ação de marketing poderia contribuir, estimulando os consumidores a cobrar mais qualidade de nossas indústrias de laticínios. Outro desafio seria vencer as barreiras sanitárias e para isso também devemos fazer o dever de casa erradicando as zoonoses que insistem em persistir além da aftosa, as famigeradas brucelose e tuberculose. Para essas ações de incentivo à exportação é preponderante a atuação de políticas públicas e parece que a Ministra Katia Abreu está sensível e esse apelo.

Parabéns Dra. Rosangela. Excelente a sua apresentação.

Estes dez pontos colocados por você, são de fato primordiais para o sucesso de uma propriedade leiteira. Sendo os de maiores impactos, na minha opinião: gestão, mão de obra e assistência técnica. Contudo, precisamos de uma política pública para o setor leiteiro e uma mudança de atitude por parte dos nossos produtores de leite.     



Márcio Silva Heluany disse:

Prezado Márcio. Como mencionado, penso que a assistência técnica é um grande desafio a ser vencido para que o setor leiteiro seja competitivo. Ser competitivo, em resumo, significa ter um produto de boa qualidade e um preço razoável. Para a assistência técnica são dois pontos importantes a ser trabalhado junto aos produtores.   


Prezado Geraldo

Concordo com você!

A qualidade é um ponto muito importante a ser trabalhado e os consumidores começam a ter preferência por produtos de boa qualidade, como você. 

As instituições que de alguma forma representam o setor devem se unir e juntas exigir do governo políticas e programas de melhoria, principalmente para o produtor.   

NA MINHA OPINIÃO E POR TRABALHAR COM ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL, EM PRIMEIRO LUGAR COLOCO QUE A MAIORIA DOS PEQUENOS PRODUTORES NÃO TEM GESTÃO ADMINISTRATIVA DA ATIVIDADE LEITEIRA - EM VIRTUDE DISSO ACHA QUE NÃO DEVE INVESTIR PARA PRODUZIR MAIS LEITE. OUTRO FATOR QUE ESTAMOS PRESENCIANDO É A FALTA DE SUCESSÃO FAMILIAR DA MÃO DE OBRA, POIS OS FILHOS FORAM PARA A CIDADE ATRÁS DE EMPREGO E NÃO QUEREM MAIS RETORNAR PARA A ÁREA RURAL E A MAIORIA DOS PRODUTORES ( CASAL ) RECEBEM 2 SALÁRIOS DE APOSENTADORIA RURAL.  RESUMINDO PARA NÓS TÉCNICOS QUE TRABALHAMOS COM ASSISTÊNCIA TÉCNICA A MAIOR DIFICULDADE É TRANSFORMAR O " TIRADOR DE LEITE EM PRODUTOR DE LEITE".

BOA NOITE 

APENAS COMPLEMENTADO A IDEIA DO NOSSO AMIGO MÁRCIO, REALMENTE ESSE É O MAIOR PROBLEMA MESMO POIS SOU UM PEQUENO PRODUTOR E VEJO NA PELA A REALIDADE DE COMO NÃO E FÁCIL MANTER E TENTAR INOVAR SENDO PRODUTOR DESSE NÍVEL, DEVERIA REALMENTE SER MAIS TRABALHADO O PEQUENO PRODUTOR POIS TEMOS MUITAS FAMÍLIAS QUE DEPENDEM DESSA ATIVIDADE. 

Boa noite Dra Rosângela

Gostaria de parabenizá-la pela matéria mas dentro de minha modéstia aproveito para por em discussão alguns tópicos que penso eu são de relevada importância dentro de toda conjuntura .

Clima , pessoas com vocação , dispostos , áreas físicas temos e muito mais etc... . Vejo que falta aos pecuaristas  sejam familiares ou não mesmo sendo pequenos é : maior apoio por parte do governo precismos de orgãos técnicos  mais eficientes não quero com isto dizer que os que temos não o são , precisamos de maior apoio por parte destes em sua efetividade ou seja com um numero maior de técnicos em cada região, pois hoje este número que temos vejo que é insuficiente, por exemplo: temos em vários municípios do Brasil a Emater mas o número de técnico nos escritórios locais são pequenos em relação ao número de produtores do município em que atuam, vejo também em muitos escritórios locais os técnicos  sendo verdadeiros burocratas, pouco saindo a campo o que deveria ser constante deixando o escritório e assiduamente acompanhando os produtores pois isto  acontece em geral poucos estados o fazem de forma efetiva , e estes que o fazem sempre estão na vanguarda do sucesso de seus atendidos, cito como exemplo o estado do RIO Grande do Sul onde sempre temos a cada dia notícia das melhorias alcançadas e dos sucessos de seus produtores sejam eles micro ou pequenos médios grandes etc..., temos alguns exemplos também em Minas e por aí vai. Os nossos governantes deveriam apoiar mais efetivamente , em  muitos municípios  ou seja na sua maioria a prefeitura  não os apoiam como deveria ,o governo estadual  também assim como o federal. Temos grandes orgãos de pesquisas temos grandes técnicos  temos gente capacitada temos pesquisadores de gabarito internacional cito EMBRAPA ,EPAMIG etc... pesquisas maravilhosa verdadeiras descobertas verdadeiras soluções para o homem do campo que em sua maioria não chegam aos mesmos por falta de maior apoio por parte seja das emateres  ou de outros orgãos de fomento,em geral não por desleixo, mas por maior falta de apoio politico, apoio estrutural mais incentivo destes governantes.Não vou ficar falando muito pois esta discussão  se tornaria  cansativa acho que deveríamos falar mais sobre isto mas aos poucos pois só assim outros poderiam nos mostrar fatos que poderemos ir discutindo ao longo  do tempo.Tenho certeza que muitos nos mostrarão  pontos positivos mas também pontos negativos ou seja casos de sucessos e outros sem  seria um ótimo termo para se discutir.

Penso que se nossos governantes dessem mais apoio melhor seria os resultados vejamos : se tivéssemos  em cada município uma patrulha agrícola com  maquinário adequado a cada região para atender  não de graça mas com preço os justo os produtores com um bom aporte de insumos com técnicos os acompanhando orientando e com uma central de apoio do plantio a colheita da compra de insumos a venda de seus produtos ou seja uma rede completa a situação seria outra. NO sul temos exemplos de sucesso . Quando falamos em gado de leite muito falamos em genética esta muitas das vezes poucos a ela tem acesso e os motivos acima os falei, quando se fala em produção também temos que falar em nutrição , pergunto: será que nossos produtores em sua maioria tem esta concepção em mente , digo mais uma vez la no início esta a resposta.  Muitas vezes encontro com companheiros e as vezes os pergunto como é produzir leite que é o caso, os mesmos me respondem ora basta ter boas vacas uma boas cocheira e farelo e ai se produz, não não é isto que deveria ocorrer , os mesmos deveriam pensar que ser produtor acima de tudo deve-se ser um empresário seja mine, pequeno,médio ou grande, ver seu negócio como uma empresa , e como toda empresa deveriam agir baseando em alguma norma . O produtor de leite deveria pensar que sua empresa se baseia em um tripé:genética, manejo e saúde. Veja cara Doutora isto por si seria e será ótima discussão também pois cada item se desdobra em vários penso que seriam ótimos temas,quando falamos em produção por animal em produção por região por pais  a meu ver esta embutido muitas coisas só para elucidar , conhecimento capacidade de organização tecnológica capacidade financeira etc... Por falar em capacidade financeira dou como exemplo grandes empresas estes tem condições de ter um corpo técnico a sua disposição e os pequenos? se nossos governantes não os apoiam como deveria aí estão muitas das vezes produzindo pouco por falta de apoio, nossa força de produção está amparada nestes que pouco tem ajuda em todos os sentidos, como podem produzir com mais qualidade se muitas das vezes nem uma casa digna tem,se não tem dinheiro para investir o governo diz que tantos milhões foram liberados para a agricultura e pecuária mas  destas liberações pouco chegam aos pequenos e quando chegam os afugentam com as exigências burocráticas o que faz com que estes pequenos se recusam a candidatar em toma-los, isto porque não há uma politica séria capaz voltada para os mesmos,se forem ao banco pedir dinheiro para um carro rapidamente tem, se for para uma casa na cidade  também se for para qualquer coisa que não seja para o campo tem e sem burocracia mas se for para o campo aí a coisa muda,não  querem que  quem esta fora do campo possa a ele voltar pois se o mesmo for a um banco estatal e solicitar um empréstimo para começar seu empreendimento rural ouvirão que para isto ou para aquilo tem que ter tantos anos produzindo, tem que ter terra própria não podem se arrendatário e por aí vai, mas se for posseiro invasor tem tem até ajuda de custo do governo como sesta básica ajuda com insumos etc.Doutora sua fala foi excelente mas não sei se a outros o fazem pensar como eu,  mas em minha mente  abre um leque de coisas que levaria dias meses ou talvez anos para irmos discutindo seu pormenores, desculpe-me se fugi um pouco do assunto mas creio que não a meu ver são desdobramento dos fatos.

Reitero mais uma vez meus sinceros parabéns desejo-a muito sucesso . 

Paschoal Jannuzzi de Paula Motta



Fernando :

Em países como a Índia ocorre um aumento do número de produtores, principalmente de pequenos, em consequência das políticas públicas adotadas. A redução do número de pequenos produtores no Brasil é devido a "concorrência" com países mais competitivos e porque as políticas públicas ainda não chegam aos que precisam. 

Dr. Duarte

Concordo que nosso "dever de casa" ainda não foi realizado com relação a qualidade do leite. Ainda somos importadores e para reverter a situação, tornando exportador de lácteos, temos que abastecer o mercado interno e ser competitivo. Ter a Ministra Kátia Abreu sensível ao leite é um grande passo, principalmente protegendo nosso produto e claro nossos produtores.

Éder

As instituições e órgãos que tem ações no setor do leite precisam se unir para pressionar o governo por políticas adequadas.

Irezê

A falta de sucessores na atividade é realmente um grande desafio, porque depende de muitos fatores de "fora da porteira" e de "dentro da porteira" o principal deles é a rentabilidade do negócio.

Bruno

Vamos torcer para que a Ministra tenha bons projetos para o leite.

Paschoal

Eu acrescento que a indústria, que capta o leite, também é responsável pela assistência técnica. Sei que é difícil para ela porque não existe fidelização do produtor e estaria investindo sem garantia de melhorar seu produto.

Se o pequeno produtor não tem condições de "comprar" assistência técnica, um caminho é unir-se a outros produtores e compartilhar o conhecimento.

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Embrapa Gado de Leite.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço