Rede de Pesquisa e Inovação em Leite

Historicamente os produtores de leite sempre reclamaram dos preços praticados pelo mercado. Sabemos que a maioria de nossos fornecedores e clientes são grandes empresas ou multinacionais , e obviamente nosso poder de negociação é insignificante .

O que há de errado na cadeia do leite , até quando vamos permanecer nesta situação , há algo que possamos fazer ?

 

Exibições: 299

Responder esta

Respostas a este tópico

Carlos, bom dia!

Temos uma equação difícil de ser resolvida.

Falta legislação para garantir preço mínimo;

Não existe controle de importação;

Não existe união entre os produtores de leite;

Na maiorias os produtores são individualistas, não apoiam o cooperativismo (exceto no Sul do País onde a prática é maior);

Não existe uma fiscalização para a prática abusiva de algumas regiões do Brasil venderem insumos (ex. milho) a um preço abusivo e produto sem qualidade, tem milho que nem galinha come;

Vamos supor que alguns produtores resolvam boicotar o fornecimento, os laticínios, muitas vezes multinacionais, compensariam com importação. E os produtores, fazer o que com o leite?

Grandes empresas compraram e fecharam laticínios regionais, os produtores estão a mercê dos compradores, vendemos nosso produto e só vamos saber quanto receber 45 dias depois.

Não dá para planejar nada...

Uma grande alternativa seria a criação de micro fábricas de queijos com produtos artesanais, tipo agricultura familiar como acontece na Europa, aí sim o produtor teria mais renda e as grandes empresas teriam de remunerar melhor o leite caso quisessem ter o produto. 

O problema é que o órgãos do governo dificultam a criação de micro indústrias...

Abraços,

Paulo Gomes

Prezados,

Em meu parco entendimento, para melhorar o preço pago pelo leite nos diferentes locais de produção bem como de acordo com a sua sazonalidade regional, o mesmo deveria ser comercializado em bolsa de mercadorias e futuros e o seu valor precificado em Dólar, aos moldes do que ocorre atualmente com a comercialização da pecuária de corte, milho, soja, açúcar e outros. Existem outras estratégias é claro, mas a atual conjuntura de mercado indica que esta atividade tende a se organizar aos moldes da suinocultura e avicultura brasileiras, cujos produtos também sofrem os reveses da economia e a cadeia produtiva é simplesmente dominada por um tipo de mercado em que poucas empresas detêm o controle da maior parcela do mercado, os chamados Oligopólios. Os Conseleites que existem Brasil a fora, até debatem a melhor maneira de valorizar o leite, mas poucas são as ações prática e que melhoram o preço do produto no campo. De fato, precisa-se de políticas de desenvolvimento regional que permita a micro e pequenas empresas o estabelecimento de ações pró-cidadão, aos moldes do que o colega Paulo Gomes colocou em sua penúltima frase. Mas ai existem uma série de obstáculos que sinceramente só acontecem no Brasil. É vergonhoso abrir uma micro e pequena empresa por aqui, mesmo que esta seja uma cooperativa, uma associação de produtores ou outra iniciativa. Vivemos no País da piada pronta.......Lamentável.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Embrapa Gado de Leite.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço